jump to navigation

o flâneur queer no Chiado Maio 12, 2015

Posted by paulo jorge vieira in Uncategorized.
trackback

Amanhã caminharei pelo Chiado de um modo distinto do habitual. Aqui falarei dessa estrela mais brilhante de algumas vivências LGB da cidade de Lisboa que é  o Bairro do Chiado. Falarei destas ruas onde andamos, cheia de fulgor de corpos diversos, de alteridades sexuais visíveis e incorporadas, que temos que recolher, recriar, (re)escrevendo a cidade e a sua memória coletiva.

flan

O flâneur queer no Chiado

Algumas notas etnográficas em trono de uma constelação heterotópica

Bseado numa etnografia do quotidianos de lésbicas e gays na cidade de Lisboa este texto pretende analisar a importância do conceito de flâneur na construção de metáforas das diferentes subjectividades no campo.

Se para Benjamin (bem como, em Charles Baudelaire) o flâneur é um “andarilho” pedestre, um espectador das dimensões várias e diversas do quotidiano, este texto pretende questionar a partir desse olhar a zona do Chiado como um espaço central as visibilidades “queer” na cidade de Lisboa. Esta forma de etnografia mundana, é baseada num jogo de distância e proximidade dos atos e performances observada por ele. Assim flâneur queer configura-se como uma espectador passivo, e um ativo participante dessas performances queer.

Partimos assim das ligações entre Benjamin e estudos queer desenvolvidos particularmente a partir do livro de Chisholm “Queer Constellations – Subcultural Space In The Wake of the City” (Chisholm, 2005)  Partindo assim dessa entidade – que nosso estudo é também claramente auto-etnográfica – como um entidade “única” na cidade, o autor incentiva a observação desse limite como “escrever a cidade” introduzindo a noção de constelação como uma representação não realística, mas sim metafórica do espaço, mas que na realidade nos mostra relações e materialidades de/nas áreas urbanas. Nesse sentido o conceito de constelação potencia uma representação não heternormativa do espaço e da espacialidade, reafirmando a existência de múltiplos imaginários nas sociabilidades urbanas.

Comentários»

No comments yet — be the first.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: