jump to navigation

“What I Did For Love” Abril 2, 2017

Posted by paulo jorge vieira in musica, Uncategorized.
Tags: ,
add a comment

“What I Did For Love”

Aqui nas versões de Aretha Franklin  e Josh Groban
Kiss today goodbye
The sweetness and the sorrow
We did what we had to do
And I can’t regret what I did for love
What I did for love

Hey, look, my eyes are dry
The gift was ours to borrow
It’s as if we always knew
But I won’t forget what I did for love
What I did for love

Gone, love is never, never, never gone
As we travel on, sweet love’s what we’ll remember

Now, honey, kiss today good, ah, kiss and goodbye
And then point me, point me toward tomorrow
Wish me luck, would you do that, baby?
I do it for you

Can’t forget (Can’t forget)
And I won’t regret (Won’t regret)
What I did, what I did for love

Gone, love is never, ever, ever gone
As we travel on, sweet love’s what we’ll remember

Kiss today, kiss and goodbye
Point me toward tomorrow
And wish me luck, would you do that, baby?
I do the same, oooh, I do it for you, ah

Can’t forget (Can’t forget)
Won’t regret (Won’t regret)
What I did, what I did for love (Ooohooo)
What I did for love (Oooh)

What I did for love (Oooh)

Anúncios

Salvador Sobral – Amar Pelos Dois Março 6, 2017

Posted by paulo jorge vieira in musica, Uncategorized.
Tags: , ,
1 comment so far

 

Salvador Sobral interpreta o tema “Amar Pelos Dois”, composto por Luísa Sobral, na final do Festival da Canção 2017.

 

Se um dia alguém, perguntar por mim
Diz que vivi para te amar
Antes de ti, só existi
Cansado e sem nada para dar

Meu bem, ouve as minhas preces
Peço que regresses, que me voltes a querer
Eu sei, que não se ama sozinho
Talvez devagarinho, possas voltar a aprender

Meu bem, ouve as minhas preces
Peço que regresses, que me voltes a querer
Eu sei, que não se ama sozinho
Talvez devagarinho, possas voltar a aprender

Se o teu coração não quiser ceder
Não sentir paixão, não quiser sofrer
Sem fazer planos do que virá depois
O meu coração, pode amar pelos dois

(rip) George Michael Dezembro 26, 2016

Posted by paulo jorge vieira in musica, Uncategorized.
Tags:
add a comment

Hoje para relembrar George Michael poderia escolher inúmeras músicas. Escolhi “one more try”. Nem sei quais serão as razões mas esta balada faz parte dos momentos eternos da minha vidinha de adolescente nos perdidos anos 80/90.

 

I’ve had enough of danger
And people on the streets
I’m looking out for angels
Just trying to find some peace
Now I think it’s time
That you let me know
So if you love me
Say you love me
But if you don’t
Just let me go

Cause teacher
There are things that I don’t want to learn
And the last one I had
Made me cry
So I don’t want to learn to
Hold you, touch you
Think that you’re mine
Because there ain’t no joy
For an uptown boy
Whose teacher has told him goodbye
Goodbye
Goodbye

When you were just a stranger
And I was at your feet
I didn’t feel the danger
Now I feel the heat
That look in your eyes
Telling me no
So you think that you love me
Know that you need me
I wrote the song, I know it’s wrong
Just let me go

And teacher
There are things
That I don’t want to learn
Oh the last one I had
Made me cry
So I don’t want to learn to
Hold you, touch you
Think that you’re mine
Because there ain’t no joy
For an uptown boy
Whose teacher has told him goodbye
Goodbye
Goodbye

So when you say that you need me
That you’ll never leave me
I know you’re wrong, you’re not that strong
Let me go

And teacher
There are things
That I still have to learn
But the one thing I have is my pride
Oh so I don’t want to learn to
Hold you, touch you
Think that you’re mine
Because there ain’t no joy
For an uptown boy
Who just isn’t willing to try
I’m so cold
Inside
Maybe just one more try

Love of my life, can’t you see? Novembro 24, 2016

Posted by paulo jorge vieira in musica, Uncategorized.
Tags: ,
add a comment

Hoje relembro Freddie Mercury que nos “abandonou” faz hoje 25 anos. O mundo perdeu imenso e o adolescente que cresceu com a sua música, e aqueles transgressores videos onde tantas vezes se reconhecia, ficou mais só.

Todos nós temos uma música preferida dos Queen? Eu gosto tanto deles que tenho sempre dificuldade nas escolhas. Mas quando, uns tempos antes da morte de Freddie Mercury, eu próprio perdi “um dos amores da minha vida” (ai os amores adolescentes) esta música perseguia-me nos momentos de maior tristeza e lembrança.

Aqui fica a memória de Freddie e desse amor adolescente que a morte afastou de mim.

Love of my life, you’ve hurt me
You’ve broken my heart and, now, you leave me
Love of my life, can’t you see?
Bring it back, bring it back, don’t take it away from me
Because you don’t know what it means to me…

Love of my life don’t leave me
You’ve stolen my love and now desert me
Love of my life, can’t you see?
Bring it back, bring it back, don’t take it away from me
Because you don’t know what it means to me…

You’ll remember when this is blown over,
And everything’s all by the way
When I grow older, I will be there at your side to remind you
How I still love you, I still love you…

Hurry back, hurry back, don’t take it away from me, because
You don’t know what it means to me

Love of my life,
Love of my life…
Uhhh… Yeah….

“Dance Me To The End Of Love” Novembro 11, 2016

Posted by paulo jorge vieira in musica, Uncategorized.
Tags:
1 comment so far

Morreu aos 82 um dos maiores poetas da história da música. Deixa uma obra de profunda dimensão literária que cruza os livros e os discos com que deu voz àquele que, quando se afastou para viver num mosteiro budista, era então conhecido como “o silencioso”. Nuno Galopim

“Dance Me To The End Of Love”

Leonard Cohen

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic ‘til I’m gathered safely in
Lift me like an olive branch and be my homeward dove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Oh let me see your beauty when the witnesses are gone
Let me feel you moving like they do in Babylon
Show me slowly what I only know the limits of
Dance me to the end of love
Dance me to the end of loveDance me to the wedding now, dance me on and on
Dance me very tenderly and dance me very long
We’re both of us beneath our love, we’re both of us above
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the children who are asking to be born
Dance me through the curtains that our kisses have outworn
Raise a tent of shelter now, though every thread is torn
Dance me to the end of love

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic till I’m gathered safely in
Touch me with your naked hand or touch me with your glove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

forever young Outubro 13, 2016

Posted by paulo jorge vieira in musica, poesia, Uncategorized.
Tags: ,
add a comment

Joan_Baez_Bob_Dylan_crop.jpg

 

no final dos anos 80 o meu “eu” adolescente teve uma música muito especial. uma canção com letra e música de Bob Dylan, hoje premiado com o Nobel da Literatura. aqui fica o poema de “forever young”. e duas versões da música: a de Dylan e a minha preferida, a de Joan Baez.

May God bless and keep you always
May your wishes all come true
May you always do for others
And let others do for you
May you build a ladder to the stars
And climb on every rung
May you stay forever young
Forever young, forever young
May you stay forever young.

May you grow up to be righteous
May you grow up to be true
May you always know the truth
And see the lights surrounding you
May you always be courageous
Stand upright and be strong
May you stay forever young
Forever young, forever young
May you stay forever young.

May your hands always be busy
May your feet always be swift
May you have a strong foundation
When the winds of changes shift
May your heart always be joyful
And may your song always be sung
May you stay forever young
Forever young, forever young
May you stay forever young.

como é difícil acordar calado Outubro 11, 2016

Posted by paulo jorge vieira in activismo, musica, Uncategorized.
1 comment so far

chico

Cálice (poema de Chico Buarque) nesta belíssima versão. Hoje é para mim símbolo de lutas contínuas, de dores sentidas no quotidiano, de resistências necessárias, de vontades desejadas. Esta é uma versão recente com Aline Lessa e Caio Prado. Bonitos e resistentes, este poema e esta melodia. 


Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Como beber dessa bebida amarga
Tragar a dor, engolir a labuta
Mesmo calada a boca, resta o peito
Silêncio na cidade não se escuta
De que me vale ser filho da santa
Melhor seria ser filho da outra
Outra realidade menos morta
Tanta mentira, tanta força bruta

Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Como é difícil acordar calado
Se na calada da noite eu me dano
Quero lançar um grito desumano
Que é uma maneira de ser escutado
Esse silêncio todo me atordoa
Atordoado eu permaneço atento
Na arquibancada pra a qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa

Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

De muito gorda a porca já não anda
De muito usada a faca já não corta
Como é difícil, pai, abrir a porta
Essa palavra presa na garganta
Esse pileque homérico no mundo
De que adianta ter boa vontade
Mesmo calado o peito, resta a cuca
Dos bêbados do centro da cidade

Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
Pai, afasta de mim esse cálice
De vinho tinto de sangue

Talvez o mundo não seja pequeno
Nem seja a vida um fato consumado
Quero inventar o meu próprio pecado
Quero morrer do meu próprio veneno
Quero perder de vez tua cabeça
Minha cabeça perder teu juízo
Quero cheirar fumaça de óleo diesel
Me embriagar até que alguém me esqueça

this is my life Maio 9, 2016

Posted by paulo jorge vieira in musica, Uncategorized.
Tags: ,
add a comment

 

Funny, how a lonely day
Can make a person say
What good is my life

Funny, how a breaking heart
Can make me start to say
What good is my life

Funny, how I often seem
To think I’ll never find another dream
In my life

Till I look around and see
This great big world is part of me
And my life

This is my life, today, tomorrow
Love will come and find me
But that’s the way that I was born to be
This is me, this is me

This is my life and I don’t
Give a damn for lost emotions
I’ve such a lot of love, I’ve got to give
Let me live, let me live

Sometime when I feel afraid
I think of what a mess I’ve made
Of my life

Crying over my mistakes
Forgetting all the breaks I’ve had
In my life

I was put on earth to be
A part of this great world is me
And my life

Guess I’ll just add up the score
And count the things I’m grateful for
In my life

This is my life, today, tomorrow
Love will come and find me
But that’s the way that I was born to be
This is me, this is me

This is my life and I don’t
Give a damn for lost emotions
I’ve such a lot of love, I’ve got to give
Let me live, let me live

This is my life
This is my life
This is my life

shirley.jpg

 

Sei de Um Rio Março 31, 2016

Posted by paulo jorge vieira in musica, Uncategorized.
Tags: , ,
add a comment

Sei de Um Rio

Camané

(Pedro Homem De Mello/Alain Oulman)

Sei de um rio
sei de um rio
em que as únicas estrelas
nele sempre debruçadas
são as luzes da cidade

Sei de um rio
sei de um rio
rio onde a própria mentira
tem o sabor da verdade
sei de um rio

Meu amor dá-me os teus lábios
dá-me os lábios desse rio
que nasceu na minha sede
mas o sonho continua

E a minha boca até quando
ao separar-se da tua
vai repetindo e lembrando
sei de um rio
sei de um rio
E a minha boca até quando
ao separar-se da tua
vai repetindo e lembrando
sei de um rio
sei de um rio

Sei de um rio
até quando

 

“Melhor de Mim” Março 30, 2016

Posted by paulo jorge vieira in musica, Uncategorized.
Tags: ,
1 comment so far

 

 

Melhor de Mim

Mariza

Hoje, a semente que dorme na terra
E se esconde no escuro que encerra
Amanhã nascerá uma flor

Ainda que a esperança da luz
Seja escassa
A chuva que molha e passa
Vai trazer numa gota amor

Também eu estou
À espera da luz
Deixo-me aqui
Onde a sombra seduz

Também eu estou
À espera de mim
Algo me diz
Que a tormenta passará

É preciso perder
Para depois se ganhar
E mesmo sem ver
Acreditar!

É a vida que segue
E não espera pela gente
Cada passo que dermos em frente
Caminhando sem medo de errar

Creio que a noite
Sempre se tornará dia
E o brilho que o sol irradia
Há-de sempre me iluminar

Quebro as algemas neste meu lamento
Se renasço a cada momento
Meu o destino na vida é maior

Também eu vou
Em busca da luz
Saio daqui
Onde a sombra seduz

Também eu estou
À espera de mim
Algo me diz
Que a tormenta passará

É preciso perder
Para depois se ganhar
E mesmo sem ver
Acreditar!

É a vida que segue
E não espera pela gente
Cada passo que dermos em frente
Caminhando sem medo de errar

Creio que a noite
Sempre se tornará dia
E o brilho que o sol irradia
Há-de sempre nos iluminar

Sei que o melhor de mim
Está para chegar
Sei que o melhor de mim
Está por chegar
Sei que o melhor de mim
Está para chegar